Educação financeira será disciplina obrigatória nas escolas já este ano

Educação financeira passa a ser parte do currículo do ensino fundamental

Com a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a educação financeira passa a ser obrigatória a partir de 2018 para crianças do ensino fundamental. As escolas terão até 2020 para implementar todas as mudanças.

O Banco Central (BC) foi o responsável pela iniciativa e participou do processo de elaboração do documento. O objetivo da BNCC é ensinar conceitos básicos de economia e finanças aos alunos.

A disciplina deverá ser abordada principalmente em Matemática e Ciências da Natureza, mas poderá aparecer em outras matérias como História, por exemplo, mostrando o surgimento do dinheiro e sua função na sociedade, o consumo em diferentes momentos históricos, etc.

A BNCC orienta a elaboração dos currículos tanto nas escolas públicas quanto particulares nos ensinos infantil e fundamental. A base curricular do ensino médio ainda será avaliada pelo Conselho Nacional de Educação.

Educação financeira deve começar em casa

O fato de a educação financeira agora ser obrigatória nas escolas não deve, porém, substituir os ensinamentos dos pais sobre o tema.

Desde cedo, as crianças devem ser ensinadas sobre o valor do dinheiro, seu poder de compra e como utilizá-lo de maneira consciente, afinal quanto mais cedo elas tenham essas noções melhor será a relação delas com suas realidades financeiras.

Aliás a educação financeira também é a maneira mais eficaz de acabar com o consumismo. Já fizemos inclusive um post sobre como evitar o consumismo infantil que tem aparecido cada vez mais cedo por conta do mundo cada vez mais conectado que vivemos.

Uma das maneiras de introduzir  o assunto no cotidiano delas é utilizando a mesada educativa, que pode ser dada a partir dos 3 anos de idade. Falamos mais sobre este assunto aqui.

O importante é que agora, além da família, as escolas também estão preocupadas em formar cidadãos mais conscientes financeiramente, abrindo a possibilidade de um planejamento mais precoce e, consequentemente, uma vida mais promissora.