Segundo filho: como preparar seu bolso?

Segundo filho demanda planejamento financeiro, mas experiência com o primeiro facilita as coisas

Ter o segundo filho tem se tornado uma decisão cada vez mais difícil para muitos casais.

De acordo com dados do IBGE de 2010, a nova taxa de fecundidade é de 1,86 filho por mulher, uma queda de mais de 20% em relação ao ano 2000.

Muitos fatores como a realização profissional das mulheres e a violência crescente nas cidades contribuem para essa diminuição, mas um dos fatores que mais pesam ainda é o financeiro.

Pensando nisso, hoje trazemos 5 dicas para quem está pensando em ter – ou já encomendou – o segundo filho. Confira:

1) Segundo filho não significa gastos em dobro

A primeira coisa que pensamos quando falamos de ter o segundo filho é que os gastos serão duplicados, mas isso não é verdade.

O fato é que a família estará muito mais preparada para absorver as demandas do novo membro do que estava antes da chegada do primeiro filho.

A experiência da primeira gravidez fará com que muitos gastos iniciais sejam reduzidos e, em alguns casos, totalmente eliminados.

2) Tudo do bom e do melhor para que?

Outra coisa que ganhamos com a experiência do primeiro filho é saber que nem tudo precisa ser do bom e do melhor. E não precisamos de tudo aquilo!

Muitos itens comprados no primeiro enxoval não foram nem usados e isso já vai render uma bela economia.

Além disso, aprendemos que o crescimento do bebê é tão rápido que muitas roupas nem chegam a sair da gaveta, então para que pagar caro por elas?

Um segundo filho nos torna muito mais práticos na hora de comprar e isso faz uma grande diferença no orçamento familiar.

3) Não compre, alugue

Há diversos itens – como carrinho, berço portátil, bebê conforto, entre outros – que são usados por um curto espaço de tempo e que acabam pesando bastante no bolso.

Então, que tal aproveitar a moda da economia fatiada e economizar?

Há diversas empresas que oferecem os itens acima e muitos outros para locação, então vale a pena fazer um comparativo antes de sair comprando tudo.

E se no final das contas a opção for mesmo comprar, não se esqueça que você pode recuperar uma parte do dinheiro vendendo os itens usados.

4) Faça um “baby fund”

Ter uma reserva é fundamental para o equilíbrio de qualquer orçamento, então nada mais sensato do que fazer um fundo específico para o novo bebê.

A economia com os itens acima podem ser o pontapé inicial para seu baby fund, que também pode engordar com o corte de gastos com supérfluos, por exemplo.

5) Calma! Vai dar tempo…

Por fim, uma das melhores coisas da gravidez é que ela dura bastante tempo. Sério!

Se você parar para pensar, 40 semanas são quase 10 meses, então mesmo que vocês ainda não estejam completamente preparados para o segundo filho, vai dar tempo…

Nesse tempo, é possível acertar seu orçamento, ganhar um dinheiro extra, fazer uma reserva… ou seja, fazer todo o necessário para estar preparado financeira e emocionalmente para o novo rebento.

Lembre-se, seu bebê não vai chegar semana que vem, então keep calm e parabéns pelo novo membro da família!