Aposentadoria. Já sabe como vai garantir a sua?

Atualmente, quando se fala em aposentadoria logo pensamos nas reformas e mudanças que estão sendo discutidas e prestes a acontecer na Previdência Social. Mas não é só isso que tem feito mais gente pensar sobre o momento de “pendurar as chuteiras”. O aumento da expectativa de vida, dos empregos informais e do número de empreendedores têm contribuído bastante para esse processo.

Da mesma forma, está cada vez mais claro que dificilmente uma aposentadoria tranquila será garantida apenas com os recursos da previdência, social ou privada. Manter o padrão de vida depois de certa idade requer planejamento financeiro ao longo da vida inteira. Se você ainda não começou o seu, não se desespere. O papelada conversou com o educador financeiro André Bona, do Blog de Valor, que nos falou sobre os investimentos que podem garantir um futuro mais seguro e confortável.

“O investidor não deve imaginar que a previdência é o único produto possível para planejar sua aposentadoria. Vale qualquer produto que potencialize a acumulação, tendo em vista o objetivo do investimento. Aliás, é preciso ter cuidado na contratação desse tipo de produto, que normalmente possui taxas elevadas e, do ponto de vista da rentabilidade, normalmente fica aquém em relação a outras alternativas do mercado financeiro” esclarece Bona.

Portanto, olho vivo na rentabilidade do seu plano de previdência e nas taxas cobradas pelas instituições financeiras. Especialistas em finanças recomendam taxas administrativas abaixo de 3% e as de carregamento quase 0. Isso porque as duas tem finalidades parecidas.

Como diz André Bona, investimentos que facilitem a acumulação, de preferência os de longo prazo, são bem vindos para você usufruir na sua aposentadoria. Nesse sentido, o Tesouro Direto tem sido uma opção muito procurada como alternativa para poupar com o objetivo de resgate perto do período da aposentadoria.

Bona explica que  “muitos investidores têm optado pelos títulos do tesouro direto, especialmente o Tesouro IPCA+ para a finalidade de acumulação para a aposentadoria e, com relação à rentabilidade, pode ser uma boa opção.”

Esse título público é indicado com o propósito de aposentadoria por dois motivos: 1) tem vencimento mais longo. 2) por ser vinculado ao IPCA, que protege o valor de compra do dinheiro investido e garante que você possa adquirir daqui alguns anos as mesmas coisas. Esse quesito é bem relevante numa economia como a nossa – com taxas de inflação voláteis. (Nada comparado à década de 80, mas este ainda é um índice que nos assombra).

Se você não tem disciplina para acompanhar regularmente seus investimentos, uma indicação são os fundos de renda fixa. Nesse caso, a instituição financeira escolhe a carteira de títulos, que geralmente são públicos, de empresas e bancos. O risco é médio mas, novamente: muita atenção às taxas de administração que podem comer parte da rentabilidade.

Pensando no longo prazo, as debêntures – papéis emitidos por empresas para investimentos, também são uma opção. Um vantagem é que os juros são maiores do que os títulos públicos, isso acontece para atrair mais investidores. Porém, para investir em debêntures é preciso ter conta em alguma corretora de valor, o que também implica em taxas.

Nosso educador financeiro alerta, “o investidor não deve entrar no dilema de um ou outro, mas pensar numa carteira de investimentos planejada que lhe permita tirar o melhor de cada um desses produtos, de maneira equilibrada e planejada.” Esta matéria da Folha de S. Paulo, por exemplo, mostra 12 tipos de investimentos para quem quer poupar para a aposentadoria. Eles estão separados por baixo, médio e alto risco. Bacana para você identificar o seu perfil de investidor.

Outra possibilidade interessante, e que costuma apresentar taxas de administração menores, são as gestoras on-line. Elas fazem praticamente tudo por você: a pesquisa de perfil, objetivos do investimento e sugestão da carteira mais equilibrada de acordo com o que você pretende. Para saber mais sobre essas gestoras, clique aqui

E para finalizar, não postergue a decisão de planejar a sua aposentadoria. Estude essas e outras opções disponíveis, separe uma parte da sua renda para investir e seja persistente. Seu futuro agradece 😉