Empréstimo pessoal online. Agora ficou mais fácil ter crédito

Quem já precisou fazer um empréstimo pessoal sabe que muitas vezes pode ser demorado e sair caro. Os juros e taxas cobrados pelos bancos de varejo são altos (em média 6,5% ao mês) e a contratação nem sempre é ágil. Esse cenário abriu espaço para o surgimento de alternativas que unem tecnologia com serviços financeiros para obter um empréstimo pessoal online. Não precisa ir a agência, a contratação é simplificada e digital, além, é claro, de taxas mais justas. Está achando tudo muito fácil? O papelada analisou alguns serviços de empréstimo pessoal online, comparou taxas, tudo isso para te explicar como funciona mais essa tendência que está revolucionando o mercado financeiro.

Uma pesquisa recente da Fundação Procon revelou que os juros dos bancos para empréstimo pessoal são de 6,49% ao mês em média. Mas já existem opções confiáveis com juros mensais a partir de 1,88%. Mais tecnológicas e ágeis, os empréstimos oferecidos pelas fintechs além de juros mais baixos tem contratação simples e totalmente digital.

Na Geru gíria japonesa para “grana”, os juros variam entre 1,88% e 5,02% ao mês. Segundo um cálculo feito por eles, é 65% menor do que o juros do cheque especial. O preenchimento da simulação e do formulário para obter um empréstimo pessoal online leva apenas alguns minutos e a liberação do valor, após a aprovação do crédito, é de no máximo 10 dias. Mas segundo o fundador da Geru, Sandro Reiss, em alguns casos o dinheiro cai na conta no dia seguinte.

A Lendico é outra fintech que atua nesse modelo. A empresa é global e nasceu na Alemanha, o que comprova que o empréstimo pessoal online é uma tendência mundial. A taxa de juros na Lendico é de 3,41% ao mês em média. Assim como na Geru, a proposta é agilidade no processo. A análise de crédito é feita em três minutos. Depois da aprovação do pedido, a Lendico promete creditar o dinheiro na conta do tomador em até quatro dias.

Em ambas é possível contratar um empréstimo pessoal online de até R$ 50 mil.

Há também serviços digitais que buscam e comparam as opções de empréstimo pessoal online de acordo com o perfil do cliente. É o caso da Bom pra Crédito e da Credisfera.

Você deve estar se perguntando qual é a mágica por trás dessas fintechs. Na verdade não há truques. O que acontece é que o modelo de negócio das start-ups de finanças é enxuto e funcional, o que confere não só mais agilidade no processo de validação do crédito como uma estrutura mais sustentável e com menos custos. E se os custos são mais baixos, não faz sentido cobrar taxas elevadas dos clientes. A ideia é conquistá-los por esses diferenciais e trabalhar para consumidores que não se sentem atendidos pelo modelo tradicional de empréstimo.

É claro que ninguém quer de fato contratar um empréstimo pessoal, mas muitas vezes ele é a solução financeira mais viável numa situação de urgência, para pagar ou refinanciar uma dívida, ou boa como uma oportunidade única de alavancar um negócio. Nessas situações, o empréstimo pessoal acaba sendo o caminho mais rápido para quem não tem ou não quer mexer nas reservas financeiras.

Mas fique atento. Apesar das facilidades, empréstimo é empréstimo! Então, avalie bem a real necessidade de contratar um e qual o impacto das parcelas no seu orçamento. Outro ponto importante é refletir um pouco sobre os motivos que o levaram a precisar de um empréstimo. A gente sempre diz aqui que ter uma vida financeira saudável tem a ver com conscientização e algum trabalho. No pain, no gain!