Fique longe da inadimplência

A gente sempre ouve muitos conselhos sobre como sair da inadimplência. O papelada mesmo já publicou um artigo sobre esse tema. Mas hoje o assunto é como evitá-la. Alguns maus hábitos e as famosas concessões financeiras podem aos poucos te levar para o endividamento. Então, se você é do tipo que acha que não tem problema atrasar uns dias aquela conta, pagar o mínimo do cartão de crédito só uma vezinha ou usar só um pouquinho do cheque especial, fique alerta e dê uma olhada nessas dicas que o papelada listou para te deixar longe das dívidas.

Quem já esteve endividado sabe como é difícil reverter a situação. A inadimplência atingiu  61 milhões de brasileiros em maio de 2017 segundo o  Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor. É claro que o desemprego e a alta inflação são fatores que favorecem o endividamento. Mas, muitas pessoas, mesmo estando empregadas acumulam dívidas por não observarem alguns comportamentos financeiros prejudiciais.

Se você está ou quer se manter fora da zona de perigo da inadimplência, dá uma olhada nessas dicas que o papelada selecionou:

Diminua o limite do cartão de crédito

É muito comum cair nas tentações de consumo de vez em quando usando o cartão de crédito. Mas se isso está se tornando frequente, diminua o limite. Deixar o cartão fora da carteira também é uma saída para não gastar além das suas condições. Você pode, é claro, fazer compras no cartão, mas ele não pode ser a válvula de escape para um dia de frustração.

Enxugue planos como de internet e TV a cabo

Faça uma revisão do seu pacote de dados do celular, TV a cabo e internet. Se você fica fora o dia todo no trabalho, por que ter tantos canais à disposição ou uma internet com alta velocidade? O Brasil é um dos países onde esses serviços custam mais caro.

Diminuir os pacotes e os pontos de TV a cabo da casa fazem uma diferença enorme. E se porventura você tiver dificuldades de pagar essas contas, os valores e juros já não serão tão altos.

Evite compras a prazo

Pequenas compras não precisam ser parceladas. Pague o que for possível à vista. Esse hábito de ouro ajuda muito a manter o controle sobre os gastos e não gerar a famosa bola de neve do cartão de crédito.

Evite com todas as suas forças usar o cheque especial

Observe sempre o valor disponível na sua conta bancária para não usar o cheque especial. Esse limite de crédito que praticamente todos os bancos disponibilizam serve para cobrir eventuais pagamentos e cheques quando não houver saldo suficiente na conta. Porém os juros cobrados são estratosféricos e em alguns bancos chegam a 15% ao mês. É uma falsa comodidade que não vale a pena.

Evite ainda mais pagar o mínimo do cartão de crédito

Sempre tem um mês mais “apertado”. E nesses momentos bate aquela vontade de o pagamento mínimo do cartão. Ao cair nessa tentação você entra no crédito rotativo do cartão de crédito, já que o valor que não foi pago naquele mês vem na próxima fatura acrescido de juros que batem os 15% ao mês.

Até abril de 2017, o consumidor tinha direito de fazer o pagamento mínimo por vários meses seguidos, mas uma norma do Banco Central foi lançada para coibir o uso do rotativo e incentivar os bancos a oferecerem outras alternativas de parcelamento da fatura.

Se você acha que não vai conseguir arcar com o pagamento, negocie com seu banco antes de pagar o mínimo com juros mais altos.

Tenha controle das suas contas e pague tudo em dia

Pagar as contas em atraso, ainda que um dia, é um erro. Alguns boletos cobram juros diários baixos, mas a taxas de atraso podem ser muito altas – aluguel é um clássico nesse quesito. Então de fato vale ficar atento e ter uma forma de controle das contas para não perder nenhum vencimento.

Nesse sentido, o papelada pode ser seu aliado. Você recebe as contas diretamente na ferramenta ou faz upload de faturas que chegam pelos correios ou por emails em poucos toques. Dessa forma, com tudo devidamente organizado, o sistema emite alertas e não te deixa pagar contas em atraso. Além disso, fica mais fácil pagar usando a funcionalidade que te direciona para o banco de sua preferência sem a necessidade de digitação daquele monte de números do código de barras.

E aí? Vamos tentar? Faz o download aqui:

 app papelada ios  Badge GooglePlay Android

Mas lembre-se: o elemento inicial de toda reorganização financeira é a conscientização. De nada adianta buscar soluções práticas se não elas não vierem acompanhadas do propósito de mudança. Se desafie a seguir a risca o que se propôs durante três meses e você verá que o melhor uso do dinheiro pode ser mais gratificante do que uma tarde desenfreada de compras. Garantimos que os benefícios são mais duradouros!