Imposto de renda: já se declarou pro leão?

Entregar imposto de renda incompleto e retificar depois é melhor do que atrasar

O prazo final para entrega do imposto de renda 2018 termina na próxima segunda-feira e ainda tem muita gente que ainda nem começou sua declaração.

A Receita Federal informou hoje que já recebeu quase 16 milhões de declarações, mas que espera mais 12,8 milhões até o dia 30 de abril.

O contribuinte que entregar a declaração fora do prazo fica sujeito ao pagamento de multa de, no mínimo, R$ 165,74. O valor máximo pode chegar a 20% do imposto devido.

Por isso, é bom se apressar para prestar contas ao leão e evitar deixar tudo para o último dia, que sempre tem lentidão no sistema.

Para aqueles que não vão conseguir juntar todos os documentos até lá, a dica é entregar o material, mesmo que incompleto, e depois complementar a informação através de uma declaração retificadora.

Essa prática não significa que a declaração irá automaticamente para malha fina, mas obviamente as chances serão maiores, então só faça isso em último caso, para evitar a multa por perder o prazo.

Tire todas as suas dúvidas sobre o imposto de renda 2018 abaixo:

Quem deve declarar?

Os contribuintes que se encaixarem em qualquer uma das situações abaixo devem entregar a declaração até a próxima segunda:

– Quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2017

– Quem recebeu rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.000,00 ano passado

– Quem obteve, em qualquer mês de 2017, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto

– Quem realizou operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas

– Contribuintes que tiveram em 2017 receita bruta superior a R$ 142.798,50 em atividade rural

– Quem tinha até 31 de dezembro do ano passado a posse ou propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, cuja soma seja superior a R$ 300.000,00

– Pessoas que passaram à condição de residentes no Brasil em qualquer mês do ano passado e permaneceu assim até 31 de dezembro

Como declarar?

A declaração pode ser elaborada de três formas diferentes:

1) através do computador, fazendo o download do Programa Gerador de Declaração IRPF 2018 diretamente no site da Receita Federal

2) por smartphones e tablets, pelo app Meu Imposto de Renda, disponível no Google Play (sistema Android) e App Store (iOS)

3) online, mediante acesso ao serviço Meu Imposto de Renda, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC) com o uso de certificado digital, que pode ser feito pelo próprio contribuinte ou seu representante com procuração eletrônica.

Este ano, não é necessário fazer o download do programa Receitanet para transmissão da declaração, uma vez que essa funcionalidade foi integrada ao programa do IR.

Para saber o que mudou na declaração de imposto de renda deste ano, leia este post sobre o assunto.

Restituições e pagamentos

As restituições começarão a ser pagas em julho e, os lotes seguem sendo liberados até dezembro, sempre no início da segunda quinzena de cada mês.

Por outro lado, o contribuinte que tiver imposto a pagar poderá dividir o valor em até oito cotas mensais, com valor mínimo de R$ 50 cada uma.

A primeira cota, ou parcela única, deve ser paga até dia 30 de abril e, as demais, até o último dia útil de cada mês, acrescidas de juros.

O pagamento do imposto de renda pode ser efetuado mediante transferência eletrônica de fundos por meio de sistemas eletrônicos dos bancos, pagamento de DARF em qualquer agência bancária ou débito automático em conta corrente.