Mentiras financeiras que os casais contam

Mentiras sobre ganhos e despesas podem gerar discussões e até divórcio

Mentiras sobre qualquer assunto nunca são algo bom em um relacionamento, mas quando se referem a dinheiro, prejudicam o orçamento familiar e podem gerar muitos problemas.

Também conhecidas como traições financeiras, essas mentiras são contadas por diversos motivos (dificuldades econômicas, medo de desaprovação, insegurança, etc.) e nada melhor do que conhecê-las para combatê-las.

Mentir sobre o salário

Há muitas pessoas que mentem na hora de falar quanto ganham, enquanto outras nem mesmo revelam isso ao parceiro.

Medo de comprometer toda renda com o orçamento doméstico e disparidade entre salários são apenas algumas razões para essa mentira.

O fato é que tem muita gente por aí fazendo Caixa 2 no relacionamento e isso não é nada bom…

Quando falamos de orçamento doméstico, a transparência deve ser total para evitar conflitos e manter sempre o equilíbrio.

Investimentos ou poupança secretos

Mentir sobre os rendimentos pode gerar outras mentiras, como ter que esconder investimentos frutos do tal Caixa 2.

Assim, além de não poder contribuir, a outra pessoa ainda pode acabar tendo que fazer malabarismos financeiros simplesmente porque não sabe que existe uma reserva que poderia aliviar a situação.

Ter dinheiro investido ou uma reserva que dê segurança financeira ao casal deveria ser motivo de orgulho e não ser escondida como algo errado.

Desculpas para não gastar

Quando não há um objetivo em comum no orçamento do casal, podem surgir divergências sobre o que fazer com o dinheiro.

E é neste momento que surge outra mentira: a desculpa para não gastar dinheiro com isso ou aquilo, pois não é o que VOCÊ quer.

Por exemplo: se um dos dois quer reformar a cozinha, mas o outro acha melhor viajar, o primeiro pode dizer que não poderá tirar férias de jeito nenhum enquanto o segundo poderá alegar que a reforma não é permitida pelo condomínio.

Vale tudo na hora de evitar gastos com os quais não se está de acordo.

Para evitar estas disputas, a dica é conciliar os objetivos e trabalhar juntos para conquistá-los.

Esconder as compras

Todo casal tem aquele que compra por impulso e, muitas vezes, por medo do julgamento, acaba escondendo a nova aquisição e inventando alguma despesa inesperada para justificar que está sem dinheiro.

É preciso exercitar o autocontrole para evitar gastos desnecessários e, pior, brigas com o parceiro.

Ajuda a familiares ou de familiares

Duas situações diferentes com uma só consequência: turbulência na vida a dois!

No primeiro caso, um dos cônjuges pode começar a contribuir menos com o orçamento doméstico porque está ajudando familiares ou amigos.

No segundo, o cônjuge é quem está precisando de ajuda e acaba recorrendo a familiares às escondidas.

O problema não é ajudar ou pedir ajudar, é mentir a respeito, que acaba abalando as finanças, mas também a confiança entre o casal.

Conclusão

No final das contas, como vimos em todos os exemplos, quando um dos parceiros não tem visibilidade completa do orçamento, isso pode causar turbulências financeiras desnecessárias e, de quebra, abalar o relacionamento.

É muito importante poder conversar com o parceiro desde o início do relacionamento sobre dinheiro numa boa, pois só assim o casal conquistará o tão sonhado “e foram feliz para sempre!”