Orçamento familiar: os 5 erros mais comuns e como evitá-los

Orçamento familiar deve ser abrangente e acompanhado de perto para dar certo

Ter um orçamento familiar é fundamental para uma vida financeira saudável.

E nós já ensinamos neste post tudo que você precisa saber para colocar o seu em prática.

Mas se mesmo assim, suas finanças ainda não estão em ordem, pode ser que você esteja cometendo alguns deslizes na hora de controlar seu dinheiro

Para te ajudar a identificar onde está o problema e saná-lo de uma vez por todas fizemos esta lista com os 5 erros mais comuns no orçamento familiar. Confira!

1) Os gastos são fixos, os valores não

Água, luz e supermercado são exemplos de gastos fixos, mas isso não quer dizer que você paga o mesmo valor todo mês, certo?

Pensando nisso, você deve analisar com cuidado o seu orçamento familiar para identificar possíveis oportunidades de economia.

Tomar banhos mais rápidos, acumular mais roupas para lavar e passar e optar por marcas mais populares de produtos de limpeza por exemplo são atitudes simples que certamente farão diferença no final do mês.

2) Pequenos gastos, grandes problemas

Outro erro comum na hora de controlar o orçamento familiar é não prestar atenção aos pequenos gastos.

Sabe aquela passadinha na padaria para comprar uns pães para o lanche da tarde ou o cafezinho depois do almoço?

Então, por menor que seja o gasto, ele deve ser controlado, afinal considerando o café apenas nos dias úteis, você pode gastar mais R$ 1.200 por ano só com isso.

É importante saber para onde vai cada centavo do seu dinheiro, pois só assim você será capaz de controlar bem seu orçamento.

3) Parcelar, parcelar e… perder a conta!

Ter a opção de parcelar uma compra – ainda mais sem juros – pode ser uma mão na roda na hora que estamos precisando de algo, e é mesmo.

O problema começa quando perdemos o controle dessas parcelas e, com isso perdemos também a mão do nosso orçamento familiar.

É importante ter bem claro o quanto estamos comprometendo de nosso dinheiro e por quantos meses para não acumularmos parcelas e cair no endividamento.

4) Pense no pior

Espere o melhor, mas esteja preparado para o pior.

Este é um ensinamento valioso para qualquer âmbito de nossa vida, especialmente o financeiro.

Um dos maiores erros que se pode cometer quando falamos em orçamento familiar é não estar preparado para grandes imprevistos, como uma doença grave ou a perda do emprego.

Ter uma reserva para emergências é crucial para não sucumbir nessas horas, então não se esqueça de separar um valor todos os meses para este fim.

5) Carpe diem… com responsabilidade

O que se leva dessa vida é o que vivemos… Quantas vezes já não ouvimos isso?

O famoso carpe diem, ou aproveitar o dia, não pode virar desculpa para gastos desnecessários que comprometerão o orçamento familiar.

Claro que nosso objetivo não é ficar acumulando riqueza e não aproveitar a vida, mas tudo pode ser feito com responsabilidade, sem colocar suas finanças em risco.

É preciso desconstruir a ideia de que só nos divertimos gastando dinheiro.

Andar de bicicleta, correr no parque e conversar com amigos são apenas alguns exemplos de como podemos nos divertir sem colocar a mão no bolso.

Isso sem falar de inúmeras opções de programas culturais gratuitas que são oferecidas nas principais capitais de nosso país.

Transformar hábitos é uma tarefa que exige disciplina, atenção e perseverança, mas vale a pena.

Quebrar esses paradigmas e reinventar sua maneira de viver pode trazer resultados surpreendentes. Permita-se!