IPTU, IPVA, material escolar: como se programar para não quebrar?

IPTU é só uma das contas que acabam com o seu orçamento no início de ano

Fim de ano é sempre uma festa, mas passadas a comilança e euforia, o ano novo traz uma tonelada de contas logo em seu início. Além das famigeradas siglas – IPTU e IPVA – também tem matrícula e material escolares e contribuições sindicais, de associações e conselhos de classe. E você, que vai passar um fim de ano de rei, pode acordar endividado em janeiro.

Calma! A seguir, nós damos algumas dicas para você se programar e não passar (muito) sufoco.

1) À vista ou parcelado?

Algumas dessas contas de início de ano, como o IPTU e o IPVA trazem a opção de pagamento à vista com desconto ou parcelado. A gente inclusive já fez um texto só para explicar sobre o que vale mais a pena no caso do IPTU. Clique aqui para saber mais.

Basicamente, a regra é: se você tem um dinheiro guardado com um rendimento menor que a taxa de juros embutida no valor parcelado do IPTU, por exemplo, vale a pena tirar o dinheiro e pagar de uma vez.

Por outro lado, se a taxa do dinheiro aplicado é maior, deixe o dinheiro lá quietinho rendendo e vá pagando parcelado.

Isso também vale para quem não tem o dinheiro na mão, afinal, certamente, todas as taxas de empréstimo são maiores que os descontos oferecidos, então não vale a pena pegar dinheiro emprestado para pagar as contas a vista.

2) Pesquise e pechinche

Naquilo que é possível negociar – como os materiais e uniformes escolares – utilize a regra dos 2 Ps: pesquise bastante antes de comprar e pechinche o preço e a forma de pagamento.

Quanto mais barato e mais prazo você tiver para pagar, menos impacto essa despesa vai gerar no seu já comprometido orçamento de início de ano.

3) Adie outros gastos

Obviamente, o imprevisto é inimigo número 1 do orçamento de qualquer família e alguns gastos são inevitáveis, mas para todas as outras coisas, deixe para depois.

As promoções de início de ano são tentadores, mas mesmo que você compre tudo no cartão de crédito, tenha em mente que muitas contas também serão parceladas – como o IPTU e o IPVA – e cada comprinha inofensiva vai ser mais um gota num copo já quase transbordando.

Então, segura a onda – e a carteira – e deixe para gastar lá em abril, ok?

4) Poupe sempre

A última dica vale para qualquer época do ano: poupe! Mesmo que seja o troco da padaria.

Não espere ter “grandes quantias” em mãos para começar a guardar dinheiro.

Os especialistas dizem que todo mundo deveria poupar, no mínimo, 10% de sua renda líquida todos os meses, mas a gente sabe que isso nem sempre é possível.

Então, se este for seu caso, não tem problema, desde que você tenha em mente que aquelas moedinhas que você nem dá tanto valor, somadas no fim do ano, podem pagar, ao menos, uma parcela do seu IPTU. Olha que maravilha!

5) Use e abuse do app papelada

Ninguém gosta de pagar contas, mas pagar contas com juros e multa é ainda pior, concorda? Outra coisa péssima é ter de ficar organizando papéis, vencimentos. Se isso for durante as férias de janeiro, nem se fala. Então, crie já uma conta no papelada e deixe que a ferramenta faça tudo isso por você (exceto ganhar o dinheiro :-/).

Além de poder receber seu IPTU e várias outras contas diretamente na ferramenta, o sistema faz toda a gestão de faturas e despesas. Todos os seus boletos ficam armazenados em um só lugar e disponíveis a qualquer momento, onde você estiver. Basta ter internet. É uma maravilha!

Se você está terminando 2017 no vermelho, não tem suas contas organizadas e está cansado de ficar correndo atrás do rabo, aproveite as boas energias do final do ano e mude. Pouco a pouco, mas sempre! Feliz 2018!