FINTECH: VOCÊ SABE RECONHECER UMA?

Cada vez mais ouvimos essa palavrinha: fintech. Dizem que faz maravilhas por nós, mas sabemos, de fato, o que é fintech? Qual o seu propósito? Quais são suas características? Como reconhecê-la no mercado? A seguir vamos explicar tudo que você sempre quis saber sobre fintech, mas tinha medo de perguntar.  

Para entendermos o que é fintech, vamos recorrer a uma cena do cotidiano que conhecemos muito bem:

O gerente do banco levanta da cadeira com os seus documentos para fazer uma cópia. No caminho da máquina de xérox, faz uma piada com o colega de trabalho da mesa ao lado, provavelmente sobre futebol.

Ele volta com o contrato impresso nas mãos. Você assina nos campos onde há um X marcado. O gerente sorri, depois informa em quantos dias úteis você receberá o cartão de crédito. Ah, precisa desbloqueá-lo na agência. “É rapidinho”.  

O que é fintech? Substitua o gerente, o colega, a fotocopiadora, a papelada e, enfim, a agência, por um app no celular que faz tudo que um banco faz, só que mais rápido, com menor custo e (muito) menos burocracia. Isso é um exemplo de fintech.

O nome é autoexplicativo: finanças + tecnologia = fintech.

Ok, mas como eu reconheço uma fintech?

Ela possui algumas características básicas:

  1. É uma startup inovadora de forte base tecnológica, que já nasce 100% digital.
  2. Oferece serviços financeiros que rompem paradigmas tradicionais.
  3. Propõe novos modelos de negócios para o mercado e os consumidores.
  4. Tem estrutura física mínima, por isso seus custos são baixos.
  5. Seu foco é, de fato, o cliente (é sério!).
  6. Oferece simplicidade, praticidade, eficiência e desburocratização em seus processos.
  7. Sua comunicação é transparente.

Fintechs no Brasil

Ok, sabemos o que é fintech, mas quais são as suas perspectivas no Brasil?

Os serviços das fintechs abrangem um vasto leque de campos de negócios: banco digital, microsseguros, empréstimos, pagamentos, cartão de crédito, emissão de boletos, gerenciador financeiro, entre outras.

Este mundo de possibilidades tem atraído investidores no Brasil e impulsionado as fintechs no país.

Segundo relatório da consultoria FintechLab, o Brasil tem hoje 130 fintechs – 50% delas com faturamento acima de R$ 1 milhão. Em 2016, os investimentos nessas startups dobraram, chegando a R$ 450 milhões em comparação aos R$ 200 milhões de 2015.

O futuro é promissor para as fintechs no Brasil. E quem ganha com isso somos nós, consumidores, com a disponibilidade de novas ferramentas financeiras que operam a baixo custo e facilitam (e barateiam) a nossa vida.

Um exemplo: Nubank

Para entender ainda melhor o que é fintech, vamos tomar como exemplo o Nubank. É uma das fintechs mais conhecidas do Brasil.

O que o Nubank faz? Oferece um cartão de crédito ao usuário, que o administra inteiramente pelo celular, acompanhando em tempo real seus gastos. Se o usuário quiser, ele pode aumentar, com um mísero clique, o limite do cartão pelo app.

A fatura chega por e-mail. O cartão não tem anuidade ou tarifa. E os juros são mais baixos que os praticados pelo mercado.

Ou seja, o Nubank preenche os requisitos de uma fintech: uso massivo de tecnologia para revolucionar os serviços financeiros, com baixo custo e processos simples orientados para o cliente.

O papelada

O papelada representa o que é fintech. Com tecnologia 100% desenvolvida nacionalmente, a startup quer revolucionar a maneira como recebemos e pagamos contas e documentos – é a morte do papel, que dá lugar à fatura digital.

O aplicativo reúne nossas contas a pagar, digitalizadas, em um único ambiente virtual – a caixa postal digital –, acessível por celular e integrada aos bancos para pagamento. Uma fintech por excelência!

Devido a essas características e também que recebemos com muito orgulho a notícia de termos sidos selecionados para o projeto FINTECH.RIO, projeto de aceleração, ou Scale Up Program, criado e financiado pelo Sicoob Empresas RJ e pela CAAP— empresa de consultoria idealizadora e responsável pela constituição do Sicoob Empresas RJ.

A iniciativa está sendo sediada na Plataforma.Space, espaço de coworking na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro, que tem como objetivo fomentar o empreendedorismo no Rio de Janeiro, ajudando startups a ganhar tração, por meio de capacitação técnica, acesso a crédito e ao mercado.

Além do papelada, fazem parte do projeto o Banco Digital Maré, Menu for Tourist, Osayk, Otimiza e Preço Certo